Postagens

Mostrando postagens de Outubro 24, 2015

INFORMATIVO DA AÇÃO SOLIDÁRIA ADVENTISTA

Imagem
Os adventistas do sétimo dia creem na ação social como uma maneira de demonstrar a religião de forma prática na comunidade. 
Compreendem, ainda, que a Bíblia Sagrada dá forte ênfase no trabalho social como parte integrante da transformação de vida que Jesus ensinou às pessoas que desenvolvessem.
A Ação Solidária Adventista (ASA) consiste nas múltiplas iniciativas solidárias e serviços de assistência social que a igreja local, de forma organizada, realiza através da sua liderança e membros em favor de seus semelhantes. 
Essa ajuda é baseada nos princípios bíblicos e orientações dos escritos de Ellen White. A ASA é um ramo das atividades mis­sionárias da igreja.

Para maiores informações acesse:  ADVENTISTAS.ORG

“A OPOSIÇÃO ESTÁ ENTRINCHEIRADA NA TESE DO IMPEACHMENT”

Imagem
Ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro Neto, disse que a oposição colocou o país em uma situação em que somente o que importa é apear a presidente Dilma Rousseff do poder, deixado de lado a agenda necessária para alavancar a retomada do crescimento econômico; "Estamos enredados numa disputa política que vem se estendendo demasiadamente. A oposição está entrincheirada na tese do impeachment", afirmou
Pernambuco 247 - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, defendeu, nesta sexta-feira (23), a volta da CPMF como mecanismo auxiliar para que o governo possa equilibrar as contas públicas. "Não se tem como fazer mágica. Ou você cria o imposto ou não paga as contas do País. No atual contexto, não existe outro caminho a não ser criar um imposto provisório", disse Armando em entrevista à Rádio Jornal do Commercio. Ele também defendeu a permanência de Joaquim Levy à frente do Ministério da Fazenda e afirmou que "Não exi…

Desembargador: "Não há dúvida alguma que os fatos imputados ao atual gestor municipal de Gravatá são extremamente graves"

Imagem
Ministério Público de Contas de Pernambuco

Relator substituto do processo de intervenção na Prefeitura de Gravatá, o desembargador Ricardo Paes Barreto proferiu a primeira decisão do Judiciário sobre o caso nesta sexta-feira (23). Ele deu um prazo de cinco dias para que o prefeito Bruno Martiniano (sem partido) possa apresentar sua defesa prévia em relação ao pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE), antes de analisar o pedido de liminar na Corte Especial do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).
Como a Corte Especial só tem reuniões plenárias às segundas-feiras, a intervenção só deve ser apreciada no dia 9 de novembro, já que o dia 2 é feriado de finados.
"Sendo o representado detentor de mandado popular, penso ser devida toda a prudência na condução adequada deste processo, no sentido de, previamente, ser colhida sua defesa prévia, em homenagem ao princípio constitucional do contraditório, para que, só então, o feito possa ser…